sábado, 2 de junho de 2012

O livro Vermelho - Mao Tsé-Tung





CAP. XXVIII – OS COMUNISTAS

“Em nenhum momento e em nenhuma circunstância um comunista deve colocar seus interesses pessoais em primeiro plano; pelo contrário, ele deve subordiná-los sempre aos interesses da nação e das massas populares. É por isso que o egoísmo, o relaxamento no trabalho, a corrupção, o exibicionismo, etc. merecem o maior dos desprezos; enquanto a entrega desinteressada, o ardor no trabalho, a devoção à causa pública, o esforço intenso e tenaz merecem todo o respeito.” – p. 189


Citações do Presidente Mao Tsé-Tung Livro Vermelho como é mais conhecido no Ocidente, conforme sugere o próprio nome é uma coletânea de citações do Ex- presidente da República Popular da China Mao Tsé-Tung . Foi organizado por Lin Piao, Ministro da Defesa de Mao.O livro possuí 33 capítulos e fala do processo e do pensamento Comunista de Mao Tsé-Tung. Seus tópicos abordam a ideologia de Mao, conhecido no Ocidente como Maoísmo ou oficialmente como "Pensamento de Mao Tsé-Tung". Inicialmente publicado na China, teve distribuição internacional após Abril de 1964.

O Livro Vermelho é o segundo livro mais vendido na história, atrás apenas da Bíblia Sagrada, teve aproximadamente 900 milhões de cópias imprimidas. A popularidade fenomenal do livro pode estar ligado ao fato que era essencialmente uma exigência não oficial para todo cidadão chinês possuir o livro, especialmente durante a Revolução Cultural.

Durante a Revolução Cultural,na China o livro passou á ser estudado não só nas escolas mas também sua leitura era exigida no mercado de trabalho. Todas os setores da sociedade, industria, comércio, agrícola, administração civil, e nos setores militares, era organizado sessões de leitura do livro durante várias horas por dia no trabalho.

Durante os anos 60, o livro era um ícone importante na cultura da China, tão visto quanto a imagem de Mao. Em cartazes e quadros criados pelos artistas de propaganda do PCC, Mao era muitas vezes visto com uma cópia do livro na mão dele. Depois do fim da Revolução Cultural em 1976 e a subida ao poder de Deng Xiaoping em 1978, a importância do livro diminuiu consideravelmente.

O livro é uma impórtânte forma teórica do Comunismo, que na China foi posta em pratica pelo próprio Mao Tsé-Tung, Na China o Livro Vermelho foi considerado mais importante que o próprio Manifesto do Partido Comunista de Karl Marx e Engels. Esse livro faz parte da literatura comunista e vale a pena ler essa obra.

*Obs: Procure o livro, em qualquer livraria vc o encontra, abaixo, apenas algumas citações...

Excertos do Livro vermelho

Seleção de Eduardo Sposito
Mao Tse-Tung – O LIVRO VERMELHO – editora Martin Claret – 2002 CAP. XI – A LINHA DAS MASSAS
“Recolher as idéias das massas, concentrá-las e levá-las de novo às massas a fim de que estas as apliquem fortemente e chegar assim a elaborar justas de direção. Tal é o método fundamental de direção.” – p. 97
propósito dos métodos de direção” – 1 de junho de 1943
“Em todo o trabalho prático do nosso Partido, toda direção correta é necessariamente “das massas para as massas”. Isso significa recolher as idéias das massas (idéias dispersas, não sistemáticas), concentrá-las (transformá-las por meio do estudo em idéias sintetizadas e sistematizadas), ir de novo às massas para propagar e explicar essas idéias de maneira que as massas as tomem como suas, persistam nelas e as traduzam em ações; e ainda verificar a justeza dessas idéias no decorrer da própria ação das massas.
Depois é preciso voltar a concentrar as idéias das massas e levá-las outra vez às massas para que estas persistam nessas idéias e as apliquem firmemente. E assim por diante; repetindo-se infinitamente esse processo, as idéias vão se tornando cada vez mais concretas, mais vivas e mais ricas. Tal é a teoria marxista do conhecimento.” – ps. 97 e 98
Ibidem
CAP. XXVIII – OS COMUNISTAS
“Em nenhum momento e em nenhuma circunstância um comunista deve colocar seus interesses pessoais em primeiro plano; pelo contrário, ele deve subordiná-los sempre aos interesses da nação e das massas populares. É por isso que o egoísmo, o relaxamento no trabalho, a corrupção, o exibicionismo, etc. merecem o maior dos desprezos; enquanto a entrega desinteressada, o ardor no trabalho, a devoção à causa pública, o esforço intenso e tenaz merecem todo o respeito.” – p. 189
“O papel do Partido Comunista da China na guerra nacional” – outubro de 1938
“Os comunistas nunca devem julgar-se infalíveis nem tomar atitudes arrogantes, crendo-se bons em tudo e que os outros não servem para coisa alguma; nunca devem fechar-se em seu quarto, ser fanfarrões ou comportar-se como tiranos” – p. 192
novembro de 1941
CAP. XXXI – AS MULHERES
“Na China ( antes da revolução socialista)os homens estão geralmente sujeitos a três sistemas de autoridade (autoridade política, autoridade do clã, e autoridade religiosa) … Com respeito às mulheres, além de estarem submetidas a esses três sistemas de autoridade, elas se encontram ainda sujeitas ao homem (autoridade do marido).
Essas quatro formas de autoridade – política, clânica, religiosa e marital – encarnam o conjunto da ideologia do sistema feudal-patriarcal, e constituem as quatro cordas grossas que amarram o povo chinês, em especial os camponeses.
Mas acima descreveu-se já como os camponeses derrubaram, no campo, a autoridade política dos senhores da terra, a qual constituía a espinha dorsal de todos os outros sistemas de autoridade.
Derrubada essa autoridade, a autoridade clânica, a autoridade religiosa e a autoridade marital começam a oscilar… Entre os camponeses pobres, a autoridade marital foi sempre mais débil, pois as mulheres eram obrigadas, por necessidade econômica, a realizar mais trabalho físico do que as mulheres pertencentes às classes ricas, tendo portanto mais direito à palavra e maior poder de decisão quanto aos problemas familiares.
Nos últimos anos, com a ruína crescente da economia rural, as bases da dominação dos homens sobre as mulheres ficaram minadas. Recentemente, com o surgir do movimento camponês, em muitas localidades as mulheres começaram a organizar-se em associações rurais; chegou para elas o momento de levantarem a cabeça, e a autoridade marital oscila cada dia mais.” – p. 205
“Relatório sobre uma investigação feita em Hunam a propósito do movimento camponês” – março de 1927


2 comentários:

  1. O Livro Vermelho é o segundo livro mais vendido na história, atrás apenas da Bíblia Sagrada, teve aproximadamente 900 milhões de cópias imprimidas. A popularidade fenomenal do livro pode estar ligado ao fato que era essencialmente uma exigência não oficial para todo cidadão chinês possuir o livro, especialmente durante a Revolução Cultural.

    ResponderExcluir
  2. Eu gostava de ter um exemplar, pois aprecio o trabalho de Mao Tsé Tung, e todo o trabalho revolucionário com Mao à frente do PCC.

    ResponderExcluir